Notícias

Jovens na Espanha querem mais transporte público

Jovens na Espanha querem mais transporte público

Realizada no ano passado em cidades como Madri, na região da Catalunha e em outras partes da Espanha, uma pesquisa com dois mil jovens com idades entre 16 e 22 anos buscou saber o que pensa essa parcela da população sobre o futuro da mobilidade nas cidades. 
 
Com base em entrevistas, o estudo levantou dados sobre os meios de transporte mais utilizados, sobre a percepção de risco do jovem em seus deslocamentos diários e as expectativas por uma mobilidade que cause menos impactos no meio ambiente, entre outras questões.
 
Os jovens também foram questionados se tinham ou não carteira de habilitação - no total, 35,6% responderam que sim e 64,4% que não. Outros indicadores como a velocidade e os limites de álcool e drogas foram incluídos nas perguntas do estudo. 
 
A pesquisa "Estudo de Opinião sobre Segurança Viária entre Jovens", foi realizada pela Direção Geral do Tráfego (DGT) em conjunto com a Fundação Abertis. Os questionários permitiam assinalar mais de um modo de deslocamento.
 
Ao serem perguntados sobre quais meios de transporte mais utilizados no seu dia a dia, 80,8% dos jovens disseram se deslocar principalmente a pé. Quase na mesma proporção, 80% disseram usar o transporte público, no caso integrado por ônibus, metrôs e trens. 
 
A partir dos resultados, foi possível deduzir que mais de dois terços dos jovens na Espanha caminham ou usam o transporte público. A bicicleta também se destacou como meio de transporte utilizado por 23,1% dos entrevistados. 
 
Já na opção de deslocamento por automóvel, a pesquisa adotou classificar as respostas segundo a posição do entrevistado, se passageiro ou se condutor. Assim, foi possível obter que 38,8% se deslocam diariamente por carro como passageiros e 20,9% como condutores.
 
As escolhas se mantiveram com poucas mudanças quando a pergunta era qual o meio de transporte mais utilizado pelo jovem durante os finais de semana. O resultado permaneceu quase igual exceto no uso da bicicleta, que diminuiu para 18,7% e, no caso dos que conduzem automóvel, que subiu para 21,7%.
 
Mobilidade do futuro
Outra questão abordada na pesquisa é como os jovens imaginam que será a mobilidade urbana dentro dos próximos anos. Nas respostas, a percepção dos jovens faz relação direta entre mobilidade e meio ambiente. Por exemplo, quase 80% (79,7%) dos entrevistados concordam com a restrição a carros particulares no centro das cidades. 
 
Nas respostas, fica evidente entre as preferências de mobilidade dos jovens o desejo de caminhar e de usar o transporte público. Quando questionados sobre qual meio de transporte usariam caso não pudessem se deslocar de automóvel, 53% disseram que em transporte público, 26,3% caminhando e 17,5% em bicicleta. 
 
Carro perde importância
As últimas décadas têm sido testemunhas desta tendência que protagonizam não somente os jovens da Espanha, mas também de diferentes partes do mundo, já que cada vez eles parecem dar menos importância em ter um automóvel. E por diversos motivos: econômicos, ambientais, ou por considerarem outras alternativas para se deslocar.
 
Essa tendência reforça o resultado de outro estudo, realizado em 2013 pela Universidade de Michigan (EUA), onde se obteve que 21,8% dos jovens entre 18 e 39 anos preferiam se deslocar em bicicleta ou a pé, e que 17% prefere o transporte público. 

 

Fonte: ArchDaily Brasil